Cozinha Suíça – fatos e números

A gastronomia suíça deve sua riqueza à diversidade e a diferentes tradições locais. Cada região produziu suas próprias especialidades, que acabaram se tornando pratos nacionais. Centenas de tipos de carnes e queijos, pães e chocolates completam a oferta. Alguns produtos da indústria alimentícia suíça são tão bem-sucedidos que podem ser encontrados em quase todos os lares.

Infográfico Patrimônio Culinário da Suíça: Contornos da Suíça com marcação das especialidades, como Damassine, Minestrone ou Schabziger

  • Há 400 produtos suíços diferentes oficialmente reconhecidos como patrimônio culinário da Suíça. Entre os mais conhecidos estão o queijo Gruyére, a salsicha Longeole e o doce Läckerli da Basileia.
  • Ninguém come mais chocolate do que as suíças e os suíços: são mais de 10 kg por ano, por pessoa!
  • Há mais de 450 tipos de queijos, o que explica o grande consumo de queijo: quase 22 kg por ano, por pessoa.
  • O país conta com surpreendentes mais de 400 tipos de pães. Enquanto que na Suíça alemã se come principalmente o pão escuro, na Suíça Romanda e no Tessino é preferido o pão branco. O pão dominical é o assim chamado «Zopf» (trança), um tipo de pão amanteigado.
  • A oferta de salsichas e carnes secas também é variada e difere regionalmente: da Suíça Ocidental (Romandia) se originam a Longeole de Genebra, o salsichão do cantão de Vaud e as morcelas com nata do cantão de Jura; a Suíça Oriental é o local de origem da linguiça de São Galo; do Sudeste da Suíça vem a carne seca de Grisões; e do Sul, de Tessino, a mortadela com fígado.
  • A salsicha nacional da Suíça é a assim chamada «Cervelat», com produção anual de 160 milhões de unidades. Com corte cruciforme em ambas as extremidades, esta salsicha é grelhada tradicionalmente num espeto de madeira sobre o fogo aberto. Na Suíça são chamadas de B-Promis, ou seja, de prominência secundária, ou então Cervelat-Promis.
  • São cultivadas cerca de 250 castas de videiras, sendo aproximadamente quarenta destas nativas. A principal região vinícola é Valais, com mais de 50 tipos de uvas diferentes.
  • O absinto, também chamado de fada verde, é uma aguardente vermute destilada de diversas plantas, produzida inicialmente como elixir medicinal.
  • O desjejum hoje conhecido mundialmente Müesli foi desenvolvido em torno de 1900 por um médico suíço, como prato à base de maçãs, e servido em clínicas, como um jantar saudável. 

Existe uma série de produtos apreciados da indústria alimentícia que são encontrados em quase todas as cozinhas na Suíça. Uma seleção:

  • Em muitos lares, tempera-se com Aromat em pó, uma invenção da empresa Knorr, de 1952. Também são muito difundidos os cubos de sopa da Maggi, que existem desde 1908.
  • Como pasta para passar no pão, é muito apreciado o Cenovis, um produto de levedura de cerveja, cenoura e cebola, de 1931, e o Le Parfait, de 1942.
  • Ovomaltine é uma invenção de 1865. Trata-se de um pó à base de malte de cevada, leite desnatado e cacau, sendo consumido misturado no leite como bebida achocolatada.
  • A Rivella é um refrigerante à base de soro de leite e está no mercado desde os anos 50.
  • A Ricola é uma bala de 13 ervas e é produzida desde 1940.